Natação para bebés | Chill Out - O seu clube de saúde

Tratam-se, na realidade, de aulas de adaptação ao meio aquático que procuram, sobretudo, o desenvolvimento multilateral da criança, tendo em conta as perspetivas psicomotoras, cognitivas e sociais. Relativamente aos propósitos psicomotores, estes prendem-se com a motricidade grossa (através de flutuações, deslocamentos, imersões e saltos) e a motricidade fina (trabalhando as manipulações, a orientação espacial, o ritmo, entre outros).

É importante referir que preocupação principal do professor durante estas aulas, durante os primeiros dois anos, não passa por ensinar a criança a nadar, mas sim proporcionar atividades que permitam o desenvolvimento da sua capacidade psicomotora, do equilíbrio emocional e da sociabilização com os pais e com outras crianças.

ALGUNS BENEFÍCIOS DO TRABALHO REALIZADO COM OS BEBÉS NAS AULAS DE ADAPTAÇÃO AO MEIO AQUÁTICO:

•    Desenvolvimento das habilidades vitais de sobrevivência;

•    Fortalecimento do coração e dos pulmões;

•    Aumento da força e da resistência;

•    Estimulação da agilidade e da coordenação;

•    Contribuição para o relaxamento do bebé;

•    Estimulação da consciência e do estado de alerta;

•    Fortalecimento do vínculo entre progenitor e bebé.

QUANDO DEVEM COMEÇAR OS BEBÉS A PRATICAR?

Existem várias opiniões: umas que indicam os três meses de vida como a altura certa para iniciar, e outras (a grande maioria) que indica os 6 meses.

As opiniões que apontam os três meses de vida, como a idade ideal para o inicio da prática, mencionam como aspeto relevante o facto de se trazer o bebé o mais cedo possível de volta ao seu antigo habitat, que durante nove meses foi a vida intra-uterina.

No entanto, nem todos os profissionais da área são da mesma opinião, tal como muitos médicos, assinalando que nesta altura ainda existem vários sistemas em formação (i.e. pele, ouvidos, sistema respiratório, entre outros), não sendo por isso tão benéfico o contacto prolongado dos mesmos com a água da piscina.

Por outro lado, a opinião mais reiterada nos vários estudos, estabelece os 6 meses como a idade ideal para começar a adaptação ao meio aquático, tendo por base a noção de que o bebé já terminou grande parte da formação dos sistemas acima referidos e, por outro lado, apenas perde a sua capacidade nata de apneia, perto do sétimo ou oitavo mês de vida. Ou seja, o início da adaptação ao meio aquático no sexto mês de vida permite que a água não condicione o desenvolvimento dos órgãos dos bebés e, ao mesmo tempo, que apesar de ainda não existir a realização de imersões, ao longo desses meses iniciais de vida, não se percam os reflexos de bloqueio e apneia, aspetos que facilitam a adaptação da criança à piscina.

Além das razões acima indicadas, o facto de o bebé iniciar este tipo de adaptação a partir dos 6 meses de vida consente que seja mais fácil a flutuação, uma vez que só a partir desta altura é que inicia a capacidade de controlo total da sua musculatura, sendo, por isso, mais fácil relaxar.

A forma como os pais dão o banho ao seu bebé é crucial para que consiga estar tranquilo e feliz na água. Se desde os primeiros dias de vida o bebé for contactando com pequenas gotas de água na cara, isto possibilita que inconscientemente a criança continue a realizar o bloqueio automático da glote, contribuindo para que este reflexo não seja perdido tão depressa. Por esta razão, vários especialistas referem que o primeiro banho do bebé deve ser a sua primeira aula de natação.

ASPETOS ESSENCIAIS PARA O CONTRIBUTO DOS PAIS:

•    Compreender que a ideia principal é que o bebé descubra que a piscina é uma grande banheira, onde o bebé e o pai/mãe se vão divertir muito;

•    Converse, brinque e sorria muito para o seu filho, pois isso irá transmitir-lhe felicidade;

•    Esteja sempre de frente para o seu bebé;

•    Os pais têm um feeling especial, use-o para sentir o momento indicado para realizar um novo exercício, ou uma imersão pela primeira vez. É essencial que o pai se sinta confiante e tranquilo, nunca forçando o bebé!!

•    Se durante a aula o seu bebé chorar, aconchegue-o nos seus braços, pois nada pode ser mais tranquilizante que o colo e os mimos dos pais;

•    É necessário ter consciência que a aprendizagem é constituída por fases distintas, existindo por isso momentos de progressos, outros de estagnação e até mesmo regressões, mas todas elas fazem parte do desenvolvimento do seu bebé;

•    Nunca compare o seu filho com os colegas, pois cada um tem o seu ritmo de aprendizagem e o seu nível psicomotor;

•    Na primeira aula, segure o seu filho bem perto do seu corpo no momento da entrada na água, falando com voz suave e calma, e dando muitos miminhos para que se sinta o mais seguro possível;

•    Aproveite, desfrute muito e acima de tudo seja feliz!!

No final da aula, faça uma refeição, amamente, dê o biberão ou um pequeno lanche, conforme a idade: estes momentos dentro de água necessitam de muita energia e por isso abrem o apetite. Em casa, dê um banho ao seu bebé e hidrate-o para eliminar todos os resíduos de cloro, suavizar e nutrir a pele. Sereno e descansado, o seu bebé irá dormir, sem a menor dúvida, uma bela sesta para recuperar.

Contacte-nos para mais informações!

Duração da Aula: 30 min.
Horário: Sexta-feira das 18:30 às 19:00

Deixar comentário

Voucher-experiência CHILLOUT

Foque-se na sua melhor versão! Receba na sua caixa de correio um voucher para um dia no Chillout onde poderá usufruir gratuitamente do ginásio, aulas de grupo e piscina terapêutica.